Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020 | você está em »principal»Notícias»Geral
Publicado em 08/09/2020 às 07h46
Cartão de crédito ocupa o primeiro lugar nas dívidas das famílias
Sig Eikmeier / Agência Rádio2
Ilustração
Ilustração
A pesquisa da CNC revela ainda que as famílias de menor renda são as mais afetadas pelo endividamento, sendo que o principal comprometimento é com o cartão de crédito

Nível de endividamento das famílias brasileiras sobe para 67,5% em agosto, após registrar 67,4% em julho. O índice de inadimplência passou de 26,3 % para 26,7%, de um mês para o outro.

São os maiores patamares registrados em mais de dez anos, de acordo com a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, a CNC.

O indicador inclui compromissos com cheque pré-datado, uso do cartão de crédito e cheque especial, carnês de loja, prestação de carro e seguro.

O levantamento revela que, no mês passado, 12,1% das famílias com dívidas ou contas em atraso não tinham condições de acertar os débitos e continuariam inadimplentes. Em julho, o índice era de 12% e, em agosto do ano passado, de 9,5%.

Por outro lado, a quantidade de famílias que se declaram muito endividadas teve a primeira redução desde janeiro deste ano. O percentual passou de 15,5%, em julho, para 14,6%, no mês passado.

A pesquisa da CNC revela ainda que as famílias de menor renda são as mais afetadas pelo endividamento, sendo que o principal comprometimento é com o cartão de crédito. Em seguida aparecem as dívidas com carnês e com financiamento de veículos.

Publicidade
Relacionadas
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

25 SET
Publicidade
Notícias

Blogs
Publicidade
Publicidade
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Logos e Certificações: