Terça-feira, 20 de Outubro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 04/05/2015 às 16h32
Abujamra


RODRIGO ROMERO

Sobre Antônio Abujamra, morto terça passada aos 82 anos, escrevi duas vezes neste espaço: foi em 2004 e 2005. Na primeira o assunto era 'Provocações', o programa que o consagrou. Na segunda, era a peça 'A Voz do Provocador', apresentada em São Paulo, que tive o privilégio de assistir. Ao término da apresentação, Abu, como era chamado por quase todos, saiu do palco, foi para a sala do teatro. Ali ficou sentado no sofá a espera dos fãs. Não cheguei perto. Olhei-o de longe. Eu temia ser espinafrado.

A história dele está encravada a das muitas artes. Passa fundamentalmente pelo teatro, chega à TV e inclui o cinema e a literatura, sobretudo a poesia. Ninguém declamava como Abujamra. Ninguém. O 'Provocações', comandado por ele desde 6 de agosto de 2000, é a prova disto. Quem não se emociona ao escutá-lo em 'O Guardador de Rebanhos', por exemplo? Santo YouTube. Eterniza de certa forma a infinidade de momentos do ator, diretor, apresentador, produtor e iluminador... Abu era multimídia.

Sabia de cor frases de filósofos, escritores, poetas, e as declamava como os poemas. 'Tenho uma frase pra você', costuma dizer, de vez em quando, a um convidado do 'Provocações'. O arquivo de histórias também era recheado. "Uma vez encontrei o Silvio Santos nos corredores da Tupi e falei: 'Silvio, para com essas bobagens que você faz! Isso nada acrescenta aos outros, só programa ruim.'. Hoje, ele está milionário e eu na sarjeta." Claro, era exagero. A imolação, aliás, o caracterizava. Amava os fracassos.

Em 1989 conheceu a fama nacional na novela 'Que Rei Sou Eu?' ao dar vida ao bruxo Ravengar. Mas no mesmo ano faria, ao meu ver, o papel definitivo, e sem nome, no filme 'A Festa' de Ugo Giorgetti. Conquistou muitos prêmios tanto com um como com o outro. Neurastênico confesso, impelia os seus entrevistados na atração da TV Cultura. Quando Jô Soares o levou ao 'Programa do Jô', Abu deu um autêntico baile em cena. 'Nós artistas - e incluímos você - somos especiais', cutucou o provocador.

No teatro, reinou ao lado de grandes como José Celso Martinez Correa, Augusto Boal, Antunes Filho. Transformou o mau humor numa falsa carta na manga. Em 14 de fevereiro de 2013 morreu a esposa Cibelia, aos 77 anos. Talvez Abu tenha começado a desistir de tudo a partir de então.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

20 OUT
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
Publicidade
Publicidade
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Logos e Certificações: