Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 03/05/2019 às 14h54
Uma guerra fria


RODRIGO ROMERO

O diretor Pawel Pawlikowski, de forma merecida, colocou seu 'Guerra Fria' (2018) em 3 categorias do Oscar: ele mesmo foi indicado a Diretor, e, além desta, Filme Estrangeiro e Fotografia (Lukasz Zal).

O preto e branco das imagens nos trazem com majestosa categoria o ambiente colérico e sujo da Europa do pós-guerra. Os países todos destroçados, aos remendos, recebem a história dramática e sonhadora da dupla Zula (Joanna Kulig) e Wictor (Tomasz Kot), 2 personagens cujas tramas são incompatíveis e tortas.

Para início de conversa, é bem melhor do que 'Roma', furacão de Cuarón que arrebatou muitos espectadores mundo afora, incluindo este que vos escreve. Mas 'Guerra Fria' supera.

O roteiro abrange 15 anos (de 1949 a 64) da estrada do casal. Ele, professor de música e maestro. Ela, aspirante a cantora e revoltada com a vida. Pawlikowski consegue nos mostrar que 'apenas' amar não basta.

É preciso alta dose de esperança, consciência de que tudo pode escapar pelas mãos, como água. Pode-se interpretar o título da fita como uma relação que tende a ser estragada por causa mais de Zula.

De temperamento explosivo, mas de uma beleza fora do comum, a cantora traz transtornos aos dias do maestro. 'Guerra Fria' é uma obra completa, enxuta, objetiva e densa.

Em recente entrevista, tanto Pawlikowski como L. Zal informaram que tentaram realizar a fita em cores, mas depois perceberam (ainda bem) que aquele ambiente onde se passa a história é digno de um 'preto e branco inatingível', simbolizando a época na qual a fome, o desespero e a desilusão imperavam entre todos.

O romance de corrida de obstáculos de Zula e Wictor é o chamariz à catástrofe e à tragédia. Nelson Rodrigues ficaria admirado se assistisse. O retrato 4x3 da filmagem incute ao espectador harmonia e imponência que o longa-metragem merece.

A atriz Joanna Kulig faz jus a mais trabalhos grandiosos como este. Esteve em 'Ida' (2013), do mesmo diretor. Duração: 89 minutos. Cotação: ótimo.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

27 FEV
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: