Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 13/04/2015 às 09h44
Todos contra um


RODRIGO ROMERO

Em 'Matar ou Morrer' (1952) a contagem do tempo é o norte da história. O xerife Will Kane (Gary Cooper) sabe que Frank Miller (Ian MacDonald) vai chegar na cidade no trem do meio-dia. E o relógio da repartição marca precisamente 10h40. A ação da trama, portanto, corre em tempo real, já que a fita dura pouco mais de 80 minutos. Kane havia acabado de se casar com Amy (Grace Kelly no segundo papel no cinema) e tem de adiar a lua-de-mel pra proteger o local da vingança do assassino.

No início dos anos 1950, G. Cooper contava meio século de vida, era um dos astros da sétima arte e havia levado o Oscar de Melhor Ator por 'Sargento York' (1942). 'Matar ou Morrer', longa que deu a segunda estatueta, serviu para consagrar o ídolo na pele do supermachão do faroeste, capaz de derrubar qualquer fora-da-lei à espreita de seu revólver rápido; e para aumentar a lupa para o rosto angelical de Kelly, que em 1951 havia filmado 'Horas Intermináveis'. Hitchcock ainda não a conhecia.

Dirigido por Fred Zinnemman e roteirizado por Carl Foreman, 'Matar ou Morrer' nos mostra a luta de Kane não contra Miller, mas contra o condado de Hadleyville, pra onde o bandido voltará às 12 horas. Amy quer deter o recém-marido, mas em vão. Durante a fita toda, Kane tenta amealhar os cidadãos conterrâneos a batalharem com ele e acabarem com raça de Miller e seus asseclas. Mas os munícipes querem distância de confusão e, um a um, fogem da tarefa.

Os minutos finais dá a 'Matar ou Morrer' ares próprios daqueles tempos. Mais: era alívio a uma época de tensões, macartismo e guerras. Cooper, ao lado de John Wayne, lideravam.

O protagonista de 'Matar ou Morrer', aliás, durou pouco. Um câncer de próstata mal curado e espalhado para o resto do corpo o tirou de cena seis dias após o seu sexagésimo aniversário. Alguns dias antes, em 17 de abril, a Academia lhe deu o Oscar pelo conjunto da obra. Já muito doente, o ator não compareceu à cerimônia.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

28 FEV
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: