Publicidade
Quarta-feira, 23 de Junho de 2021 | você está em »principal»Blogs»O Quinto Poder
Publicado em 04/06/2021 às 13h45
Órfãos do cinema


JOSÉ LUIZ BEDNARSKI

O cinema entrou em risco de extinção, e não é por conta do novo normal pandêmico. A sétima arte, para desgosto de nosso vizinho de coluna Rodrigo Romero, está em curva descendente por conta do 'streaming'.

A concorrência vem de priscas eras. Começou com a fita de VHS e as videolocadoras. Agravou-se com as salas de projeção nos shoppings, tão desprovidas de charme.

Os primeiros a pagar o pato foram os cinemas do centro da cidade, que tentaram reagir abrindo concessões às fitas pornôs. Passado o êxtase inicial, desvirtuaram-se, para jogatina, em salões de bingo.

Contudo, como o vício do sexo e dos jogos de azar não dá futuro a ninguém, os cinemas históricos converteram-se ao fervor cristão e acabaram como templos evangélicos populares.

Para inquietação dos saudosistas, daqui a pouco, nem no shopping center existirá cinema. A Netflix e congêneres destronaram-no da preferência do público.

Atualmente, os melhores dentre as novas películas e a maior parte dos recursos de produção são destinadas à exclusividade dos acervos para assinantes com sinal de internet, sedentos pelo conforto doméstico.

Novela, então, nem se fale. Já era! Foi superada por mercadoria mais moderna, as séries com várias temporadas. A tecnologia é cinematográfica e os roteiros são mais criativos que os lugares-comuns da antecessora.

A experiência proporcionada é mais individualizada, o consumidor não precisa se aborrecer com a ditadura burra da dublagem ou com comentários paralelos e inoportunos doutros expectadores mal-educados.

Mas cinéfilo que se preze é traído por insistente e incômoda melancolia. O carpete mágico, as longas cortinas carmesins e as luzes da escada do cinema deveriam ser imortais.

O convidativo saguão introdutório, a tela branca ligeiramente curva nas extremidades, o inefável ruído constante do projetor e as pequenas partículas desnudadas ao foco colorido sobreposto à plateia são insubstituíveis.

Um dia não muito distante, tentaremos explicar aos nossos netos como eram o cinema e a emoção da companhia daquela amiga especial da escola, a quem elogiamos o novo penteado.

A frustração invisível de não conseguirmos transmitir com fidelidade essa magia contagiante acumulará, na úngula, lágrima nostálgica. Ser-lhes-á incompreensível. Pobres crianças!

Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

23 JUN
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Notícias
facebook
Artigos
Perfil do Blog
O Quinto Poder

Coluna assinada pelo Promotor de Justiça da Cidadania, José Luiz Bednarski. Uma abordagem apartidária, com discussão aberta dos assuntos de interesse geral; o amadurecimento paulatino da cidadania, a força da população em diálogo com órgãos independentes representativos, como MP, Defensoria Pública e outras instituições criadas ou fortalecidas a partir daConstituição de 1988.


E-mail do autor: joseluizbednarski@gmail.com
Arquivo
Publicidade
14/01/2021
Santos e Palmeiras disputam a final da Taça Libertadores no dia 30 de janeiro, às 17h, no Maracanã. Na sua opinião, qual dos dois será o campeão?

Nenhuma enquete encontrada!

Logos e Certificações: