Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 16/08/2019 às 14h08
O romântico Hitchcock


RODRIGO ROMERO

Paulo Francis fazia trocadilho arrebatador quando ia falar de um de seus filmes prediletos: 'Rebecca: A Mulher Inesquecível' (1940). Ele chamava a obra de Hitchcock de 'Rescível: A Mulher Inesquebeca'.

Atrás das câmeras, confusão, inveja e a boa armação do Mestre do Suspense... O galã Laurence Olivier queria porque queria que sua namorada, Vivien Leigh, fosse a escolhida ao papel de sua esposa tímida e deslocada pelos empregados.

O diretor optou por Joan Fontaine, 22 anos na época das filmagens. A retaliação veio: o ator ignorava-a, sem esconder a frieza e a falta de educação. Joan sentiu o baque.

Na tela, percebe-se claramente que ela está incomodada com algo, e não apenas simplesmente porque seu personagem exigia tal comportamento - a moça pobre em confronto com a mansão Maderlaine, tendo que dar ordens e sentindo de perto da saudade apertada do marido Maxim (Olivier) pela finada esposa Rebecca, 'mulher perfeita, refinada, de extremo bom gosto em tudo o que fazia', dizem os funcionários. 

Hitchcock notou a azia de Fontaine em relação a L. Olivier e ordenou aos demais atores e membros de sua trupe a, propositalmente, também desprezarem a 'triste' atriz. Não à toa, a teoria hitchcockiana de tratar os atores 'como gado' se aplicava na veia, sem piedade, neste caso.

Tanta falta de escrúpulo teve resultado: ela foi indicada ao Oscar, mas não levou. Na edição seguinte, por outra obra de Hitchcock, a atriz conquistou a estatueta (desta vez sem penar).

O cineasta era um obsessivo. Nutria paixões muito platônicas por determinadas companheiras de trabalho (Grace Kelly e Tippi Hedren que o digam). Era perfeccionista nos takes e às vezes humilhava as mulheres em sua volta. Revi 'Rebecca' por estes dias e percebi que nunca havia escrito sobre a fita aqui.

Um dos cinco grandes trabalhos de direção de Hitchcock, a película faz por merecer até hoje todos os elogios escritos e falados. Duração: 133 minutos. Cotação: ótimo.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

10 DEZ
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: