Publicidade
Sexta-feira, 30 de Outubro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 12/02/2016 às 15h58
Na palma da mão


RODRIGO ROMERO

Dos filmes indicados na principal categoria do Oscar, o mais tocante, emocionante, sublime e com as chances altas de levar o público às lágrimas é 'O Quarto de Jack' (a fita estreia no Brasil daqui a cinco dias). De orçamento bem barato, locações mínimas e elenco afiado, a trama dirigida pelo experiente Lenny Abrahamson se impõe pelo bom gosto.

Adaptado do livro de Emma Donoghue (que escreveu o roteiro), a história mostra Jack (Jacob Tremblay), um menino de cinco anos que vive com a mãe, Joy (Brie Larson) num único cômodo de 10 metros quadrados. Leva uma infância aparentemente normal e sadia. A mãe lhe nina a dormir, faz muitas brincadeiras, e instiga a imaginação como pode. Recebe o namorado... Porém existe o inconveniente: a dupla não sai de casa. Antes da metade descobrimos o motivo. Eles estão mantidos em cativeiro pelo 'velho Nick' (Sean Bridgers).

Jack jamais viu a luz do sol. Vive a perguntar se as imagens da TV são reais. Depois de sete anos sob as mais perversas humilhações, Joy se vê no limite físico e psicológico. Arma com a ajuda do filho um plano pra escapar. No mundo real, a adaptação dela é mais difícil que a dele.

Abrahamson domina o elenco e extrai dele o máximo. Brie e Jacob se entregam aos personagens e as atuações de ambos comovem. De forma justa, ela foi indicada a Melhor Atriz. Ele deveria pelo menos ser lembrado a coadjuvante, mas a Academia não o apontou.

O blocked é bem amarrado e isto faz com que a nossa emoção seja bem cuidada. De forma estupenda, a perturbação de Joy é transmitida ao espectador com suavidade. O amor incondicional de mãe, como o duma leoa, não é abafado e sentimos todo o carinho, um abraço de Jack, o planeta na palma da mão.

O roteiro, quando de todas as imaginações da garota, nos faz lembrar nossa própria infância, quando a inocência reflete em frases desconexas, mas poéticas num sentido último. Os olhos dele, com comedidas olheiras, marcam pela candura. 'O Quarto de Jack' já marcou nome nas grandes produções deste século. Merece de nós muitas palmas.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

30 OUT
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
Publicidade
Publicidade
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Logos e Certificações: