Sábado, 07 de Dezembro de 2019 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 29/11/2019 às 15h15
Henfil em doc


RODRIGO ROMERO

Henrique de Souza Filho foi citado na icônica música 'O Bêbado e o Equilibrista', composta por Aldir Blanc e João Bosco e eternizada na voz de Elis Regina.

O trecho 'Fazia irreverências mil / Pra noite do Brasil, meu Brasil / Que sonha com a volta do irmão do Henfil /Com tanta gente que partiu num rabo-de-foguete'. Hen (Henrique) fil (Filho), para quem viveu a política das décadas de 1960-70-80 foi um marco de rebeldia, crítica e acidez em relação ao regime militar vigente.

Henfil, por exemplo, nunca foi às urnas escolher o presidente do Brasil. Tinha 16 anos em 1960 (vitória de Jânio), morreu aos 43 anos em janeiro de 1988 - 32 dias antes do 44º aniversário e quase 2 anos antes da volta da eleição direta à presidência, em 15 de novembro de 1989 (vitória de Collor).

Há exatamente 1 ano, em dezembro de 18, foi lançado, enfim, o documentário sobre o desenhista, dirigido por Ângela Zoé. É bela homenagem ao artista criador de tipos como Fradinho, Cabôco Mamadô, Graúna, Ubaldo: O Paranoico.

Além disso, a expressão 'Diretas Já' foi ideia dele, informação que a fita faz questão de esclarecer. Ângela narra toda a trajetória de Henfil, e a sua preocupação com as cucarachas tupiniquins -os brasileiros que babavam ao se referir a tudo o que era dos EUA e desprezavam as nossas 'brasilidades', uma espécie de leitura nova ao 'Complexo de Vira-Latas' de Nelson Rodrigues.

A diretora também nos brinda com os últimos resquícios de sanidade do jornalista Sérgio Cabral (pai do político preso) - as entrevistas foram feitas em 2016, pouco antes de Cabral começar a apresentar os sintomas do Mal de Alzheimer.

'Tanga: Deu no New York Times?' (1987), o longa-metragem produzido pelo cartunista para sacanear tudo e todos, com inúmeras participações especiais (Chico Anysio, Jaguar, Hélio Pelegrino, Tom Jobim), é citado na obra como o crepúsculo da estrada de Henrique Filho.

Vítima de hemofilia como os seus dois irmãos, o ativista social Herbert de Sousa, o Betinho (1935-97) e o cantor e compositor Chico Mário (1948-88; morreu 2 meses depois de Henfil), não pode ver o país renascer. Hoje esta nova geração de 'estudantes de comunicação' (entre aspas mesmo) nem sabe quem ele é. Pena. Duração: 75 min. Cotação: ótimo.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

07 DEZ
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: