Publicidade
Quarta-feira, 12 de Maio de 2021 | você está em »principal»Blogs»O Quinto Poder
Publicado em 20/04/2018 às 15h17
Demagogia no Sus


JOSÉ LUIZ BEDNARSKI

Respeitosamente discordamos dos especialistas em literatura que criticam a qualidade do romance brasileiro após a Segunda Guerra. A ficção atingiu seu auge em 1990, quando o legislador usou toda a sua imaginação para criar um país perfeito com o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8069) e a Lei 8080 (que rege o SUS).

Dentre os delírios da lei que normatiza a rede pública de saúde estão, como objetivo do SUS (art. 5º), a identificação e a divulgação dos fatores condicionantes e determinantes da saúde dos usuários. Essa missão científica de mapeamento epidemiológico e planejamento preventivo contaria com recursos específicos da União (art. 35) e periódica atualização, como se fosse um grande censo sanitário (art. 15, III).

É rir para não chorar, ao lembrar que o recenseador do IBGE, década após década, formula diversas perguntas sobre a quantidade de geladeiras que o morador possui, mas nenhum questionamento efetivamente relacionado à saúde da população.

A administração política é insensível ao que se constata na prática espalhados pelo Brasil: a ausência de insumos básicos (como gaze e esparadrapo), prédios hospitalares interditados pela Defesa Civil por falta de conservação e número insuficiente de médicos para atendimento de multidões em horas intermináveis de espera.

O ambiente político responde com a costumeira demagogia legislativa. Cria direitos como fornecimento de 'home care' a pacientes SUS em condição vegetativa estável (Lei 10.424/02) e caríssimos tratamentos de fertilidade e inseminação para casais humildes em dificuldade para engravidar (Lei 9263/96). Promete só no papel, na realidade não entrega.

A Lei do SUS até contém alguma utilidade prática, que os governantes insistem em esconder, para que as pessoas não tenham noção exata de seus direitos e não adotem providências legais para obtenção.

Ei-los: se não contar com a necessária cobertura em sua própria rede, o SUS pode contratar o serviço especializado particular (art. 24); e deve fornecer, além da medicação, bolsas coletoras, equipamentos médicos e produtos de interesse para a saúde (art. 19-N).

Quanto às regras de fornecimento de remédios, o tema merece um texto à parte. Talvez semana que vem. Resta ao leitor doente aguardar.

Comentários (2)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

Daniel Rosa   3 anos atrás
Por que escrevo correto e na hora de confirmar fica destorcido,alguém pode me esclarecer? grato
Daniel Rosa   3 anos atrás
Eleição chegando,parem de aceitar pão e circo,saiam dessa " vida de gado, povo marcado e povo feliz " e votem no político menos ruim, entrem na internet vejam quem são os candidatos,não votem só porque ele é do partido x ou y,de preferência também a folha corrida (capivara ) de cada candidato.
12 MAI
Publicidade
Publicidade
Notícias
facebook
Artigos
Perfil do Blog
O Quinto Poder

Coluna assinada pelo Promotor de Justiça da Cidadania, José Luiz Bednarski. Uma abordagem apartidária, com discussão aberta dos assuntos de interesse geral; o amadurecimento paulatino da cidadania, a força da população em diálogo com órgãos independentes representativos, como MP, Defensoria Pública e outras instituições criadas ou fortalecidas a partir daConstituição de 1988.


E-mail do autor: joseluizbednarski@gmail.com
Arquivo
Publicidade
Publicidade
14/01/2021
Santos e Palmeiras disputam a final da Taça Libertadores no dia 30 de janeiro, às 17h, no Maracanã. Na sua opinião, qual dos dois será o campeão?

Nenhuma enquete encontrada!

Logos e Certificações: