Sábado, 22 de Fevereiro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 23/11/2015 às 10h06
Corman e o corvo


RODRIGO ROMERO

Muito tempo atrás escrevi sobre Roger Corman neste espaço. Sou fã. Trata-se dum gênio do cinema e aficionado por narrar histórias. Ícone dos anos 60, fez filmes baseados em contos lúgubres, nefastos. Bebia de Edgar Allan Poe, principalmente. Corman se baseou numa poesia de Poe e rodou 'O Corvo' (1963). No elenco, os veteranos Boris Karloff (76 anos) Vicent Price (54) e Peter Lorre (59 - morreu meses após o lançamento, em março de 1964), e o novato Jack Nicholson (25 anos - o seu 7º filme).

A trama é até boba, mas vale a pena por todo o entorno. Mistura comédia, drama e terror, mas mais para a primeira categoria. O feiticeiro Craven (trocadilho com Raven, corvo em inglês, título original do poema e da fita) vive recluso em um castelo. Está de luto pela esposa Lenore (Hazel Court), para o desgosto da filha Estelle (Olive Sturgess). Numa noite, o corvo aparece. Na verdade, é Bedlo (Lorre), outro feiticeiro. Foi transformado na ave por Scarabus (Karloff) durante um duelo de magia. Craven (Price) faz Bedlo voltar ao normal. Ambos vão ao castelo por motivos distintos: Bedlo quer revanche; Craven quer rever a amada (suspeita-se que o fantasma esteja preso lá). Junto vão Estelle e Rexford (Nicholson), filho de Bedlo. Começa um festival de efeitos especiais de quinta categoria misturado ao roteiro risível de Richard Matheson (de 'Eu Sou a Lenda', 2007). E são estes ingredientes que fazem do filme um entretenimento especial, recheado de momentos de alegoria, de poesia e cenas caricatas.

A tarefa de Corman era a de dar chance aos novos, recuperar esquecidos e, com dinheiro minguado, confeccionar longas marcantes, inclusive com locações repetidas. A maioria de seus filmes tem esta característica. Em abril o cineasta completa 90 anos. Durante 15, entre 1955 e 1970, dirigiu praticamente 100% das películas. Apenas 'Frankenstein: O Monstro das Trevas' é d'outra época (90).

Ver Lorre, Karloff e Price é um deleite. Mostram que são o que são porque têm carisma estupendo e talento fora de curva. Lorre, dos clássicos cults 'M: O Vampiro de Dusseldorf' (31), 'O Falcão Maltês (1941) e 'Casablanca' (42). Price e B.Karloff, com mais de uma centena de longas no currículo de cada um. Assisti-los a todos em cores é fazer parte da História... São lendas da sétima arte eternizadas nas imagens. Não se resiste! Se você é doente por cinema precisa recuperar as obras-primas de Corman.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

22 FEV
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: