Quinta-feira, 01 de Outubro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 08/07/2016 às 11h05
Ainda Mamonas


RODRIGO ROMERO

Na manhã do domingo 2 de março de 96, os brasileiros acordaram com a notícia do desaparecimento da banda Mamonas Assassinas. Não me alongarei aqui acerca da história, mas ocorre que por estes dias assisti ao documentário 'Mamonas para Sempre' (2009). Não sabia dele, mas se trata sobretudo duma bela homenagem, ainda que bastante simples, a um grupo de artistas que alegrou muito nosso país durante pouco tempo.

Foram seis ou sete meses de extremo sucesso, entre agosto de 1995 até a fatal colisão do avião. Cláudio Kahns (de 'Eu Eu Eu José Lewgoy', tema deste espaço mais pra frente) é o diretor. A intenção primeira era reunir depoimentos de parentes e amigos a um roteiro de ficção, mas aos poucos o cineasta enxergou ali uma chance de um longa em forma de documentário. Até que deu certo. Bento, Dinho, Sérgio, Júlio, Samuel, todos componentes dos Mamonas, são mostrados em vídeos particulares, de bastidores de gravações e viagens.

Da origem da banda, na cidade paulista de Guarulhos - onde, antes da fama, ainda com o nome de 'Utopia' foram impedidos de tocar no ginásio principal- até a fama nacional iniciada numa entrevista ao programa 'Jô Soares 11 e Meia', no SBT, o quinteto é pintado e bordado por parceiros e colegas. Nas fitas VHS, Dinho é sempre o brincalhão da turma. Rick Bonadio, empresário do grupo, conta: 'Era o líder e tinha algumas regalias. Era o único a trazer a namorada aos shows. Isso irritava os demais, porque eles queriam festinhas após os shows'. A namorada era Mirella Zacanini, hoje ex-modelo.

Como produto acabado, 'Mamonas para Sempre' é somente regular. A produção é pobre. A maioria dos casos é usada imagem dos shows. A edição não consegue captar a ordem. Nisso combina com a trupe, bem bagunceira. Se foi proposital não sei, mas funciona em partes. A Rede Record faz (ou fará) a minissérie contando a história dos cinco rapazes. Pra fechar, o documentário vale pelo desabafo de Dinho no mesmo ginásio guarulhense onde ele foi impedido de tocar no passado. 'Vocês que têm um sonho, acreditem nele. Eu fui proibido de vir aqui um tempo atrás, e hoje tô aqui!', berrou, enquanto chutava os microfones.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

01 OUT
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
Publicidade
Publicidade
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Logos e Certificações: