Publicidade
Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 23/08/2019 às 13h34
Sem trono


RODRIGO ROMERO

A mesma tecla será batida por mim até que o cinema aprenda e tenha pelo menos pouco de vergonha na cara. Refilmagens matam a sétima arte a passos curtos. Não suporto mais, por exemplo, adaptações de desenhos com atores reais.

Ou releituras de obras-primas... Outra coisa: todo ano há o lançamento de um filme do Homem-Aranha! Onde já se viu? Hoje o meu alvo é 'O Rei Leão', que chegou ao cinema no fim de julho e ainda penosamente está em cartaz.

Feito totalmente no computador, a magia da trama se esvai como um sopro. Basta passarem 5 minutos e o tédio aparece sem dó.

A história que há 25 anos emocionou 10 em cada 10 espectadores foi dilacerada em um misto de forçação de barra e a falta de criatividade que atualmente parece povoar os cineastas do mundo todo. Mufasa, Scar, Pumba, Simba e Timão podem até soar engraçadinhos na telona em sua forma aparentemente real, mas os fãs sabem que não se trata de amor correspondido, mas de decepção à altura de traição.

Jon Favreau é o diretor (de outra adaptação sem graça, 'Mogli', 2016) e tem a preocupação somente de levar à geração nova, à dos nascidos após 1990, o que representou o longa de 1994.

Quando a fita VHS verde apareceu nas lojas, os admiradores correram e adquiriram. Nem sabiam que estavam comprando algo que virou relíquia mais de 2 décadas depois. É óbvio que a intenção do lançamento nestas bodas de prata serve, entre outras pontas, a arrecadar milhões em bilheteria. Pobres de nós.

Os computadores são capazes de tudo. E bastou isso para que a qualidade fosse escanteada. Esta roupagem 'nova' de 'O Rei Leão' vai servir, provavelmente, apenas às crianças que não viveram, creio, a derradeira 'Era Romântica' da sala de cinema: meados dos anos 90, quando os produtores ainda pensavam um pouco no público, tinham a preocupação em levar à audiência roteiros bem elaborados coordenados por diretores aficionados ou bem-intencionados. O resto é uma lástima só. 

'O Rei Leão' - duração: 118 minutos. Cotação: regular.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

18 OUT
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: