Publicidade
Domingo, 13 de Junho de 2021 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 04/12/2020 às 15h00
30 anos já


RODRIGO ROMERO

Estamos no fim de 2020 (ufa!) e a efeméride me vem: são 30 anos da estreia de 'Ghost: Do Outro Lado da Vida'. Três décadas! Notei que nos quase 17 anos desta coluna apenas em 2014 citei-o 'an passant' num artigo. Fita, aliás, que tem talvez a canção mais melosa, inesquecível dos últimos 50 anos de cinema: a 'Unchained Melody' (algo como 'Melodia Inacabada'), interpretada pelos Irmãos Righteous, embala o casal Molly (Demi Moore) e Sam (Patrick Swayze).

Como todos sabem, o roteiro baseia-se no espiritismo: o gerente de banco Sam tenta ajudar, após ser morto num assalto por Willy (Rick Aviles), a ex-namorada e também a paranormal Oda Mae (Whoopi Goldberg, que ganhou o Oscar de atriz coadjuvante por este papel) a denunciar e a se livrar de vez do falso amigo Carl (Tony Goldwyn), que armou o crime com o objetivo de roubar a senha do banco e assim desviar 4 milhões de dólares num esquema de lavagem de dinheiro de traficantes de drogas.

'Ghost' tem curiosidades interessantes. Para começar, o diretor Jerry Zucker comandou apenas outros 5 longas, dentre eles o besteirol 'Apertem os Cintos: O Piloto Sumiu' (1980). Swayze havia feito 11 filmes antes, com pequenas participações em trabalhos medíocres, mas estava estourado na praça com o musical 'Dirty Dancing: Ritmo Quente' (1987). Da noite para o dia virou o queridinho de Hollywood (o 'cachê' por 'Ghost' foi de US$ 2 milhões - Moore recebeu US$ 750 mil). Bem como Moore, igualmente com 11 longas no currículo, cujos blockeds eram fracos.

Ao contrário do parceiro, fez fama com 'Ghost'. A carreira explodiu daí em diante. É engraçado explicar a longevidade da obra. Revejo-a nas tantas reprises anuais. Não me canso. A química do casal ainda funciona. Apesar de considerar algumas sequências cafonas, a emoção do desfecho permanece inapelável. Não à toa, levou o Oscar de roteiro original, com o então estreante Bruce Rubin.

A participação de Vicent Schiavelli, como o fantasma do metrô que ensina Sam a 'tocar' nos objetos, marcou. Se você que me lê, por um desses absurdos da vida, não assistiu a 'Ghost', tenha calma. Daqui a pouco a Globo o exibe na Sessão da Tarde. Duração: 127 minutos. Cotação: bom.

Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

13 JUN
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Notícias
facebook
Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
Publicidade
14/01/2021
Santos e Palmeiras disputam a final da Taça Libertadores no dia 30 de janeiro, às 17h, no Maracanã. Na sua opinião, qual dos dois será o campeão?

Nenhuma enquete encontrada!

Logos e Certificações: