Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 18/03/2016 às 10h59
A doce menina


RODRIGO ROMERO

Quando se fala em animação oriental, sobretudo a japonesa, o primeiro nome que vem à cabeça é o de Hayao Miyazaki, de 'A Viagem de Chihiro' (2001), ganhador de muitos prêmios, dentre eles Oscar de 2003. Neste 2016, um dos concorrentes na categoria Animação foi 'As Memórias de Marnie', dum fã de Miyazaki, Hiromasa Yonebayashi. De forma geral, as histórias da terra do sol nascente falam de misticismo, espiritismo ou romances velados.

No caso da produção de Yonebayashi, os ingredientes se misturam. Trata-se das aventuras de Anna, garota solitária e órfã, que sai da cidade grande para a aldeia onde estão alguns parentes. Ela tem asma e no interior o ar é mais puro. Lá, a jovem, que ama desenhar, se dedica a este afazer. Em um determinado dia, vê um casarão estranho e pergunta sobre.

O mistério começa. De repente, Anna é surpreendida com Marnie, a garota loira que mora naquela mansão. Delírio, realidade? Anna diz a verdade sobre Marnie? Talvez seja apenas imaginação. Será?

As cores trabalhadas por Yonebayashi e seus traços simples dão o tom de magia. Em 'As Memórias de Marnie' tudo é levado ao lado fantástico, ao mesmo tempo em que se encaixa um roteiro não tão original assim, mas de força.

A meiguice de uma relação entre duas pré-adolescentes permeia todos os diálogos. Aos poucos, Anna se encontra no mundo, faz amizades e tudo começa a fazer sentido. E é outra parceria, Sayaka, garota esperta de 8 anos, que a ajuda a vasculhar o passado e a descobrir se tudo o que Anna sabe é verdade ou somente paisagem. Marnie, sempre com o seu impecável vestido branco, não é exatamente o que parece ser. Ilusão? Miragem? Carência? Ternura? Amor simples? A resposta, ao contrário do que se possa prever, não salta aos olhos.

Yonebayashi consegue manejar os ingredientes da aventura e prende a atenção do espectador com um enredo que parece frágil e pobre, porém derruba os mais céticos pela pureza e ingenuidade. De forma evidente, dentre os 5 finalistas, 'As Memórias de Marnie' era um dos mais fracos. Ganhar de 'Divertida Mente' era impossível. Daqui, 'O Menino e o Mundo' também é ótimo.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

26 FEV
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: