[[date:%A, %d %B %Y]]

Seleção Brasileira na Copa de 2022

Seleção Brasileira na Copa de 2022

Comentaristas deveriam ser menos torcedores apaixonados e analisar a situação com mais objetividade. 

Encerrada a participação do Brasil na Copa do Mundo do Catar, uma avalanche de críticas soterrou o técnico previamente demissionário Tite, que foi teimoso demais em convocar Daniel Alves, e o jogador Fred, que subiu demais ao ataque quando não precisava.

No entanto, passados alguns dias, com cabeça mais fria, os comentaristas deveriam ser menos torcedores apaixonados e analisar a situação com mais objetividade, pois existiram pontos positivos na passagem dos canarinhos pelo Oriente Médio.

A seleção brasileira disputou cinco partidas no total. A primeira delas foi contra a Sérvia e os onze atletas nacionais apresentaram bom desempenho no combate à força física adversária. Já no segundo e no terceiro jogo, os rapazes não foram tão bem assim.

Mas veio o quarto jogo. As oitavas-de-final eram eliminatórias e nosso grupo atuou muito bem, goleando a equipe oponente. Viu-se um futebol vistoso, uma estratégia ofensiva, executada com arte, bem ao estilo brasileiro de jogar futebol, o que encantou a plateia.

Contudo, a taça que embriaga é a mesma que envenena. O oba-oba dominou a coletividade. Dancinhas coreografadas, muitos cabelos descoloridos, novas tatuagens, jantares nababescos e uma profusão de pernas constrangedoramente depiladas. Até o treinador entrou na farra.

A concentração para a partida seguinte não foi a mesma. Quem pensou que seria fácil se surpreendeu. Pegamos do outro lado os vice-campeões mundiais, uma seleção que jogou de igual para igual com os garotos dourados.

O empate seria o placar mais justo, e foi exatamente assim que terminou o placar da batalha. Nos pênaltis, prevaleceu o guarda-metas croata, que na fase anterior já tinha defendido três penalidades máximas nipônicas. Ou seja, meio que deu a lógica.

Mas vá explicar isso para a torcida. Tudo que querem é a cabeça de alguns culpados eleitos. Perdemos no detalhe, assim como poderíamos ter vencido, noutra oportunidade, qualquer um dos que avançaram à semifinal. Crianças voltaram a chorar a desclassificação.

O selecionado estilo Nike não mexia com a emoção do torcedor há 20 anos. Logo, houve uma melhora, a retomada do caminho que nos fará replicar aquele timaço mágico de 1982.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 03 Março 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://diariodejacarei.com.br/

No Internet Connection