[[date:%A, %d %B %Y]]

Mentalidade de mendigo

Mentalidade de mendigo

Divisar alterados por uso de substâncias inebriantes é comum. Duro é conseguir encontrar um mendigo magro e desnutrido. 

A implosão municipal da Cracolândia produziu em São Paulo uma diáspora incontornável. Os moradores de rua espalharam-se por todos os lados e a coerência exigiu da população tolerância estoica.

Um dos primeiros passos da dita redemocratização do País foi a instalação da cultura permissiva da proibição de qualquer proibição, a pretexto da desmilitarização da ordem.

Aborto, abuso de drogas, tratamento antimanicomial, liberação de costumes, repúdio às regras religiosas, popularização da arte pela ode ao malfeito, como a pichação – eis os novos filhotes da liberdade.

Nesse contexto, as contravenções penais de mendicância e vadiagem caíram em franco desuso, até que a primeira foi extinta em 2009 pela Lei nº 11.983, e ser flanelinha não configura a segunda, de acordo com o TJRS.Pela patota que quer viver de facilidade em troca de impostos, os mendigos foram transformados em mártires da luta pela resistência à desumana desigualdade capitalista.

O salvo-conduto para a liberdade plena e irrestrita é reforçado por novas seitas cristãs populares, que se esmeram no delivery de caprichadas refeições e enxovais de inverno aos intocáveis das praças.

Um pastor cearense travestiu-se de mendigo, foi passar uma temporada como morador de rua em Fortaleza e escreveu um livro sobre a experiência. Afirmou não lhe faltar menos de três jantares diários.

Divisar alterados por uso de substâncias inebriantes é comum. Duro é conseguir encontrar um mendigo magro e desnutrido. Rotina: antes do jantar, uma cópula ao ar livre; depois da refeição, muito lixo espalhado.

Da mesma praça onde invariavelmente dormem, só somem no Natal. É que, na verdade, praticamente todos têm lar, só não querem se sujeitar às regras familiares.

Os agentes de assistência social sabem disso, mas ousam comentar apenas na surdina, receosos da patrulha ideológica dos marxistas, que se recusam a admitir realidades que questionem sua teoria.

A nova moda das ruas são as barracas de camping da Decathlon, instaladas nos canteiros centrais, prejudicando a absorção de águas pluviais, a visualização da sinalização vertical de trânsito.

Centro POP, CAPS, Poupatempo, Defensoria e albergue estão disponíveis, Bom Prato vem aí. Antes disso, a pessoa precisa querer se ajudar. 

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 26 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://diariodejacarei.com.br/

No Internet Connection