[[date:%A, %d %B %Y]]

Deus me livre

Deus me livre

Laico dizem que é o Estado sem religião oficial, tolerante com minorias e protetor da livre expressão religiosa de todos os matizes. 

Pouca gente sabe, quando o assunto é credo, mas existem três tipos de Estado, não dois: o laico, o religioso e o confessional.

Laico dizem que é o Estado sem religião oficial, tolerante com minorias e protetor da livre expressão religiosa de todos os matizes.

A Constituição da atual República do Brasil, embora no preâmbulo se arrogue protegida de Deus, instituiu um Estado laico.

Religioso é o Estado regido por leis de determinada seita e liderado por um levita. O Irão, por exemplo, é um Estado religioso.

Naquele país que abriga e financia terroristas, o sistema jurídico (Sharia) deriva dos sermões maometanos.

O líder religioso supremo (aiatolá) é o Chefe de Estado e quem não segue os mandamentos da seita pode até ser preso e morto.

Pelas características acima, constata-se mais um erro no belo ensino brasileiro. O Brasil jamais foi um Estado religioso.

Os países que simplesmente possuem uma religião oficial são chamados de Estados confessionais.

Só países atrasados e extremamente intolerantes com a liberdade de credo é que possuem religião oficial, como Reino Unido e Japão.

Após dar ouvidos aos mais conceituados especialistas em ateísmo, o Brasil decidiu tirar das repartições públicas todos os crucifixos.

O serviço corrupto, desrespeitoso ao próximo e com menosprezo ao bem comum passou a ser executado sem crise de consciência.

O Estado laico parece amoroso, mas fede à criação de um ambiente facilitador para a difusão de doutrinas materialistas.

A tribo social-democrata, todavia, não deixou de lado o culto. Apenas trocou de Deus, agora rende homenagens à concupiscência.

Resta apenas acabar de priorizar os recursos dessa farsa para atendimento de sua finalidade primordial.

Matemática e literatura para quê? Matérias ultrapassadas. O ensino precoce de sexo é de maior utilidade.

Distribuir camisinha a alunos carentes não basta. Faz-se necessário garantir o aborto irrestrito no SUS.

Assistencialismo não orna com educação financeira, esqueça. Marx e Nietzsche para a rapaziada criar casca crítica. 

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 19 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://diariodejacarei.com.br/

No Internet Connection