[[date:%A, %d %B %Y]]

Gloriosas redundâncias

Gloriosas redundâncias

Alfabetizada no idioma russo pela avó materna, professora de literatura russa, encontrou nos livros e na escrita o refúgio para a difícil adaptação aos falares brasileiros.  

A arte acompanha Ludmila Saharovsky desde o início de sua vida em Lager Parsch, na Áustria, num campo de refugiados da Segunda Guerra Mundial. Alfabetizada no idioma russo pela avó materna, professora de literatura russa, encontrou nos livros e na escrita o refúgio para a difícil adaptação aos falares brasileiros, em país de usos e costumes completamente diferente dos de sua família.

Ludmila imigrou para o Brasil (Estado de São Paulo) com a família na década de 1950, e em 1965 fixou residência em Jacareí quando se casou com o médico Antônio Prado Muxagata. Em 1972 conseguiu a cidadania brasileira. Tradutora e intérprete, dedicou-se a traduzir contos russos para o português e, assim que dominou nosso idioma, começou a produzir contos, crônicas e poesias em ambas as línguas.

Em 1972 passou a escrever crônicas para os jornais jacareienses 'O Combate', depois para o Diário de Jacareí, e mais tarde para os regionais 'Vale Paraibano' e revista 'Perfil Mulher' (atualmente 'Absolut') da qual é cronista até hoje. Foi premiada várias vezes – Troféu Jacaré, Revelação em Poesia Feminina (Rádio MEC do Rio de Janeiro), Nogueira da Gama (Academia Jacarehyense de Letras), dentre outros. Em Jacareí foi diretora do Conselho de Cultura e presidente da Fundação Cultural. Participou de 12 coletânea nacionais, duas internacionais e auto editou cinco livros (sexto no prelo), produziu quatro peças teatrais baseadas em seus livros, e 'Ludmila Saharovsky' tornou-se nome da biblioteca da Faculdade Thereza Porto Marques. (local)

Esta semana nossa vale-paraibana, Filha Brilhante de tantos méritos, encontra-se em João Pessoa (PB), aonde foi para sua cerimônia de posse como filiada à UBE (União Brasileira de Escritores) paraibana. Antes, ela também havia participado da comissão de seleção dos autores da nova antologia da mesma UBE/PB, livro que reúne 108 escritores de três continentes, Brasil, Portugal e África, - um deles a própria Ludmila. Prêmios, premiações paraibanas e vale-paraibanas; gloriosas redundâncias. 

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Segunda, 08 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://diariodejacarei.com.br/

No Internet Connection