Publicidade
Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019 | você está em »principal»Notícias»Cidade
Publicado em 10/08/2019 às 18h03
Suplente do PSC pede a cassação de mandato de Fernando da Ótica
A Redação / Diário de Jacareí
Divulgação
Divulgação
O suplente a vereador Sebastião Carlos de Morais, o Pastor Tião (PSC)

O suplente a vereador Sebastião Carlos de Morais, o Pastor Tião (PSC), de 55 anos, ingressou com uma denúncia junto à Câmara Municipal de Jacareí em que solicita a abertura de processo de cassação do mandato de Fernando César Ramos, o Fernando da Ótica (do mesmo partido). 

O parlamentar é acusado pelo Ministério Público Federal de fraudar documentos para a obtenção de empréstimo consignado (desconto em folha de pagamento) junto à Caixa Econômica Federal. A ação tramita na Justiça Federal em São José dos Campos e ainda não tem data para julgamento. 

O MPF acusa, também, a ex-vereadora Rose Gaspar (PT) e a servidora da Casa, Vanda Elisa Diogo, de cometerem o mesmo crime, ainda no curso do mandato de Fernando e Rose (que não foi reeleita), em 2015.

A DENÚNCIA
O pedido de cassação de mandato do vereador Fernando da Ótica (PSC) deu entrada na Casa na última terça-feira (5). O documento se baseia, principalmente, nos artigos 31, 32 e 33 da Lei Orgânica do Município (LOM), que tratam de procedimentos formais sobre o tema. 

O Diário de Jacareí apurou que o pedido deverá ao Plenário para votação na sessão da próxima quarta-feira (14). Se a denúncia for acatada, por maioria simples de votos, o presidente da Casa, Abner de Madureira (PL), na mesma sessão, encaminha a votação para a escolha de três vereadores que comporão uma Comissão Processante. Caberá aos integrantes dessa Comissão a escolha do presidente, relator e membro, fato que tem prazo de 24h para ser formalmente comunicado à Presidência da Câmara. 

LOM: se denúncia for acatada,
Câmara poderá afastar vereador

O artigo 33 da Lei Orgânica do Município (LOM) esclarece ainda que o Presidente da Câmara, Abner de Madureira (PL), poderá afastar de suas funções o vereador acusado, “desde que a denúncia seja aceita pela maioria absoluta dos membros da Casa, convocando o respectivo suplente, até o julgamento final”, diz o texto. O suplente convocado não poderá intervir e nem votará nos atos do processo de cassação.

O presidente da Comissão Processante terá cinco dias para iniciar os trabalhos, notificando o denunciado, com a remessa de cópia da denúncia e documentos que a instruírem para que, no prazo de dez dias, apresente defesa prévia por escrito, indique as provas que pretenda produzir e arrole testemunhas, até o máximo de dez.

Decorrido o prazo da defesa, a Comissão emitirá parecer dentro de cinco dias, opinando pelo prosseguimento ou arquivamento da denúncia. Se a Comissão opinar pelo arquivamento, o parecer será encaminhado à Presidência para que seja submetido ao Plenário e somente não prevalecerá se receber o voto contrário de 2/3 (dois terços) dos vereadores. Na hipótese de a Câmara aceitar o arquivamento, encerra-se automaticamente o processo.

Se a Comissão opinar pelo prosseguimento da denúncia, seu presidente designará desde logo o início da instrução e determinará os atos, diligências e audiências que se fizerem necessários, para o depoimento do denunciado e testemunhas. 

Todo processo, desde a aceitação da denúncia, até o julgamento do vereador acusado, deverá durar, impreterivelmente, 90 dias, “improrrogáveis”, de acordo com a Lei Orgânica do Município.

Pastor evangélico há 13 anos, Tião
é filiado ao PSC de vereador acusado

O suplente a vereador Sebastião Carlos de Morais, o Pastor Tião, concorreu a uma cadeira na Câmara Municipal em 2016 pelo PSC (Partido Social Cristão), legenda que é liderada por Fernando da Ótica em Jacareí. É o segundo suplente da coligação PSDB/PSC, e recebeu 1.151 votos, ficando atrás somente de Aderbal Sodré (PSDB). Aderbal assumiu uma cadeira na Câmara em 1º de janeiro de 2017 com a ida da vereadora eleita, Patrícia Juliani (PSDB)) para o comando da Secretaria de Assistência Social. 

Atualmente, Tião é pastor-auxiliar na Igreja Evangélica do Quadrangular, no Jardim Colônia (região sul), em Jacareí, liderada por sua esposa. 

O suplente a vereador justificou o pedido de cassação de mandato do colega de partido afirmando que as denúncias contra Fernando da Ótica são “irrefutáveis, e denigrem a imagem do Legislativo e da própria comunidade cristã”, afirmou. 

Pastor Tião ocupa cargo de confiança no governo Izaias Santana (PSDB), como diretor-geral da Secretaria de Infraestrutura da Prefeitura Municipal. 

Publicidade
Relacionadas
Comentários (3)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

Adriano Noronha   1 semana atrás
Não levantar falso testemunho contra o seu irmão, como Pastor o mínimo que tinha que saber era isso, outro evangélico junto com o Abner da Madureira que está nos envergonhando. Deus tome conta de vocês viu
Adriano Noronha   1 semana atrás
Na verdade fazendo o jogo político tirar o Fernando que está mostrando a população as merdas que o Izaías está fazendo na cidade, um vereador que está defendendo os direitos da população, eu como evangélico só tenho a lamentar e lhe pedir pra ler a Bíblia e ver que um dos dez mandamentos e não
Adriano Noronha   1 semana atrás
Falta de carácter ainda diz Pastor louco por uma vaguinha nessa administração horrível que está destruindo nossa cidade sempre disse a todos que o carácter dele não e de um cristão pois se fosse iria verificar tudo ponto a ponto antes de fazer isso, mas não se veste de ovelha e é um lobo mal, está
22 AGO
Publicidade
Notícias

Blogs
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
08/10/2018
Qual a sua opinião sobre a mudança do Poupatempo para a região central de Jacareí
  • 70.8%
  • 20.9%
  • 8.3%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: