Quarta-feira, 21 de Outubro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 01/07/2016 às 10h43
Uma animação típica


RODRIGO ROMERO

Se você é telespectador assíduo da TV Cultura, está acostumado aos desenhos de 'Shaun: O Carneiro' durante a programação. São histórias curtas, de 15 minutos, bastante divertidas, às vezes educativas. Ano passado, como esperado, rodaram o longa-metragem dele. Com 85 minutos de duração, a trama conta a história do dono dos animais da fazenda onde vive Shaun, quando perde a memória.

Shaun e os amigos resolvem tirar um dia de folga para sair da rotina e, acidentalmente, levam o dono a ficar biruta, achar que é cabeleireiro celebridade. Assim, comandados pelo carneirinho, os demais animais correm atrás dele e nisso acontecem várias aventuras e confusões. Praxe. Produzido em stop motion, sistema das massinhas de modelar, a fita é dirigida pelos estreantes Mark Button e Richard Starzak, que também roteirizaram.

Foi finalista na categoria Melhor Animação do Oscar 2016, ao lado de 'As Memórias de Marnie', 'Anomalisa' (o de mais qualidade, em minha visão), o brasileiro 'O Menino e o Mundo' e o ganhador 'Divertida Mente'. Pode-se afirmar que 'Shaun: O Carneiro' foi o mais simples dos cinco concorrentes, o mais singelo. Não é demérito algum. Pelo contrário. Aos fãs de animações em geral, este modo manual do stop motion é rico pelos detalhes.

Claro, o trabalho pode até ser além da conta, multiplicado por 50, porém o resultado é excelente. A expressão 'menos é mais' cabe nisso porque florear e esquematizar o blocked somente aos adultos é covardia. E as crianças entendem muito bem os passos do carneiro, com a sua boca torta. 'Shaun: O Carneiro' tem os traços da história típica de desenho: alguém perdido, o resto dos amigos em busca dele.

Pra quem ama animais, prato cheio. Você pode até se emocionar em determinados pontos. Sempre apreciei mais esses trabalhos mouros, dificultosos, como são as massinhas de modelar. Além dos traços habituais, antigos demais, onde de papel em papel a construção dos movimentos se formava, como uma mágica digna. Os computadores trouxeram a modernidade, mas também a facilidade, às vezes o desleixo.

Não é o caso de 'Divertida Mente', mas há de ter cuidado. Profissionais especializados nas animações sabem o que fazem. Têm igual ou maior qualidade em relação aos cineastas de 'humanos'.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

21 OUT
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
Publicidade
Publicidade
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Logos e Certificações: