Publicidade
Sábado, 19 de Junho de 2021 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 02/06/2017 às 15h31
Superação real


RODRIGO ROMERO

Um filme passou meio batido pelo cenário brasileiro nestes primeiros meses do ano. É 'Loving', cujo lançamento foi ano passado, no Festival de Cannes. Trata-se de mais um produto americano sobre os negros e a batalha pelo fim do racismo nas décadas de 1950 e 1960.

Neste caso, é a história real entre o casal Richard (Joel Edgerton) e Mildred Loving (Ruth Negga), interracial - ele branco, ela negra - que são presos em junho de 1958 por terem se casado. Jogados na prisão e exilados do estado onde viviam, lutam pelo matrimônio e o direito de voltar para casa como uma família. Confesso a vocês a minha ignorância sobre Edgerton e Negga, indicada ao Oscar de melhor atriz, além do jovem diretor Jeff Nichols, de 38 anos. A fita não compromete em nenhum aspecto.

Regular, sóbria e discreta, tece sob o roteiro, também escrito por Nichols, ares de folhetim cor-de-rosa. Não fosse por ser a história real, talvez passasse distante pelo excesso de sofrimento e as lágrimas. Em 'Loving', a esfera racial se acha subitamente por debaixo dos panos. As atuações dos dois protagonistas dão ao longa qualidades autênticas de que uma boa direção ocorre naqueles instantes.

A fotografia pálida ajuda na construção do blocked, por exemplo. Neste, a religião passa longe e é bom que seja assim. Nichols maneja bastante bem as dificuldades de impor o silêncio ao espectador. São alguns momentos em que o único ruído a se escutar é o da respiração dos personagens. É mais ou menos como escrevi há duas semanas: teatro filmado, principalmente quando o time é bom e o público sente o entrosamento.

Tanto Negga como Edgerton estão em sintonia com o diretor Nichols. 'Loving' veio junto com 'Um Limite entre Nós', 'A 13ª Emenda' e 'Eu não Sou seu Negro', estes dois últimos documentários acerca do preconceito racial e as lutas para se combater tal excrecência. 'Loving', é claro, não foi exibido nos grandes centros, nem tampouco pelo Vale do Paraíba. A internet é um lugar onde tem a disponibilizada desta obra, seja por meio de serviços de demanda, como em download.

É um longa-metragem que vale a pena ser visto a se compreender parte da história dos Estados Unidos, que ainda reflete um pouco em torno da Terra.

Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

19 JUN
Publicidade
Publicidade
Notícias
facebook
Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
Publicidade
14/01/2021
Santos e Palmeiras disputam a final da Taça Libertadores no dia 30 de janeiro, às 17h, no Maracanã. Na sua opinião, qual dos dois será o campeão?

Nenhuma enquete encontrada!

Logos e Certificações: