Domingo, 23 de Fevereiro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 14/09/2015 às 09h25
‘O Pequeno Príncipe’


RODRIGO ROMERO

Quem ama cinema sai da sala de exibição de 'O Pequeno Príncipe', que estreou semana passada aqui, com a alma lavada. O longa-metragem dirigido por Mark Osborne (de 'Kung Fu Panda', 2008) tem o todo de uma produção onírica, poética e mágica. O melhor: sem cair em clichês e sem ser piegas. Aos que conhecem o livro do francês Antoine de Saint-Exupéry, as imagens parecem fundir-se com todas as páginas e a emoção de ver a fita permeada pelos 'stop motions' (confecção quadro a quadro, como se os personagens tivessem sido feitos de massinha de modelar) é de se encher os olhos. A duração é de 108 minutos. Você não vê o tempo passar... Não se trata de uma película arrastada, bem molenga.

Na história, a menininha tem a vida totalmente controlada pela mãe, obcecada por trabalho e ordem. As 24 horas do dia são cronometradas pra que a garota se esforce pra entrar na escola desejada. E até por isto, elas se mudam pra uma casa afastada. Porém, a rotina é alterada quando a filha conhece um velhinho amalucado, com mania de reconstruir um avião caindo aos pedaços. Ele quer voar pro céu e rever o amigo, o Pequeno Príncipe, que vive sozinho num planeta minúsculo, quase do tamanho dele, em companhia duma rosa. Esta história é narrada por ele à nova parceira, que se esquece de estudar e mergulha de cabeça na aventura repleta de lições de moral, a boa cumplicidade e, sobretudo, amor.

A animação, pra mim a favorita a conquistar o Oscar 2016 em sua categoria, melhor até do que o tão elogiado, de forma merecida, 'Divertidamente' (2015), mistura os traços comuns do desenho com os 'stop motions', cativa- verbo mais famoso em 'O Pequeno Príncipe' -porque é belamente construído e consegue prender a atenção tanto de crianças como de adultos. Os personagens são carismáticos, e, sobretudo o velhinho, parece o avô que qualquer um gostaria de ter. Leve o seu filho a assistir. Você não vai se arrepender. Em uma época em que tudo parece fadado ao descartável, ter a oportunidade de ficar frente a frente com um trabalho tão esmerado é raro. Mark Osborne acertou a mão. Nota 10.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

23 FEV
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: