Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020 | você está em »principal»Blogs»O Quinto Poder
Publicado em 17/01/2020 às 10h15
Masmorra Literária Marxista


JOSÉ LUIZ BEDNARSKI

Em 2017, foi lançado em Jacareí o livro Em Busca da Liberdade (72 páginas), com seis histórias de processos judiciais envolvendo escravos como réus ou vítimas, encontrados no Arquivo Histórico Municipal, e relação das parcas fontes consultadas (um livro, duas teses acadêmicas e cinco artigos).

Resume-se a proposta logo ao início do trabalho (pág. 8): negar a abolição da escravidão como ato assistencial ou humanitário, e propor a criação de uma narrativa histórica em que os negros jacareienses assumem o protagonismo mavórtico.

Para reduzir falhas de caráter e transformar personagens comezinhos de brigas de botequim e furtos em abnegados heróis abolicionistas, faz-se uma ginástica recheada de subjetivismos ("imagino" - 28), suposições ("tudo levava a crer" - 46) e divagações oníricas ("gosto de pensar que" -58).

Por si só, os 'faits divers' empobrecem qualquer jornalismo. Somados ao cárcere do pensamento na masmorra marxista, eis a receita segura para decepcionante resultado, de tom até pueril ("Aquilo não era certo, ele não podia sair impune dessa" - 67, "as autoridades faziam cada pergunta...e essa foi uma ótima resposta" - 55).

O engajamento proselitista desse produto pretensamente cultural amolda qualquer circunstância na simplória explicação da luta de classes. 

O homem branco é generalizado como explorador (39 e 52), empreendedores são demonizados e os mecanismos policiais e judiciais servem-lhes exclusivamente ("as autoridades fechavam os olhos para seus crimes, afinal, seus clientes eram homens de muitas posses, em sua maioria, grandes fazendeiros" - 53).

Quando o apego cego à ideologia nega a realidade, surge involuntariamente a pérola cômica: "ela foi absolvida, mas não porque o juiz e os jurados eram bonzinhos..." (32). Ou seja, até o benefício deve ser considerado ato orquestrado de dominação.

Os mais surrados clichês, como "homem poderoso na cidade, ninguém estava disposto a mexer com ele" (46), a diatribe racial à Princesa abolicionista (70) e o crasso gerundismo arrematador ("continuaram sendo" -71) despertam a conveniência de doravante racionalização de celulose e dos recursos da LIC.

Enquanto tal consciência tarda, o bom-senso refugia-se à sombra de Voltaire: "posso não concordar com nenhuma das palavras que dizeis, mas defenderei até a morte vosso direito de dizê-las".

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

28 FEV
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
O Quinto Poder

Coluna assinada pelo Promotor de Justiça da Cidadania, José Luiz Bednarski. Uma abordagem apartidária, com discussão aberta dos assuntos de interesse geral; o amadurecimento paulatino da cidadania, a força da população em diálogo com órgãos independentes representativos, como MP, Defensoria Pública e outras instituições criadas ou fortalecidas a partir daConstituição de 1988.


E-mail do autor: joseluizbednarski@gmail.com
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: