Domingo, 25 de Outubro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 23/09/2016 às 09h43
Geneton e a Víbora


RODRIGO ROMERO

Geneton Moraes Neto, um dos maiores repórteres que vi, nos deixou em agosto, aos 60 anos. Como diz Rolando Boldrin, se foi 'fora do combinado'. Deixou como legado alguns ótimos documentários, e sobre um deles escrevo hoje: 'Garrafas ao Mar: A Víbora Manda Lembranças' (2013), sobre a história de Joel Silveira, também outro grande jornalista (cobriu a Segunda Guerra Mundial, entre 1944 e 45) brasileiro.

Neto juntou durante a carreira vários depoimentos e gravações de Silveira, sobre assuntos variados: desde Getúlio Vargas e suas mãos 'de moça' e Jânio Quadros até a frases eternas como 'o jornalista deve ver a banda passar, e não acompanhar a banda'. Não se trata de um produto com as imagens de arquivo e inserções típicas dos documentários comuns. Por meio de textos bem escritos, Neto passa ao espectador outras faces do rabugento e bravo Silveira, que morreu em 2007, 39 dias antes de seu 89º aniversário (se estivesse vivo, ontem, dia 23, faria 98 anos).

Joel conheceu papas, presidentes, jogadores, soldados, empresários. Trabalhou ao lado de Assis Chateaubriand, responsável pelo seu apelido de 'víbora', com o estilo ferino e impactante. Silveira era uma espécie de tutor de Neto, um guia, mestre, se assim podemos encarar. Exibido pela Globo News, 'Garrafas ao Mar' é a intimidade do jornalista que foi à II Guerra aos 26 anos e voltou 'com 40', como escreveu no livro 'Repórteres'. Vemos a casa dele, o quarto cheio de livros, e Joel já octogenário, imenso de gordo, barba branca rala etc.

'Qual é a graça de alguém tocando cavaquinho? Fica aquele negócio de fi fi fi, fi fi fi', balbuciava ele, para as risadas de Geneton e a trupe. A câmera de Geneton, aliás, era intimista. Levava o público a ver o entrevistado em supercloses, onde apareciam até os poros do nariz! Quem estava acostumado aos programas 'Dossiê', ainda na Globo News, sabia disso faz tempo.

Foram inúmeras, incontáveis e inesquecíveis entrevistas com gente que fez a história do Brasil e do mundo. Para Geneton, 'produzir memória' era o seu propósito no jornalismo. Ninguém dirá que ele não foi feliz nessa sua atividade. De Collor ao assassino de M.Luther King; de Maluf a Newton Cruz; de Marília Pêra a Orlando Senna.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

25 OUT
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
Publicidade
Publicidade
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Logos e Certificações: