Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020 | você está em »principal»Blogs»Coisas de Cinema
Publicado em 07/10/2016 às 11h09
Deus existe e mora na Bélgica


RODRIGO ROMERO

Ao assistir a 'O Novíssimo Testamento' (2016) não tem como não vasculhar as gavetas da memória e buscar referências. E aí a fila é enorme: desde Federico Fellini, passando por 'Ele Está de Volta' (do ano passado), até Akira Kurosawa e os seus 'Sonhos' (1990), com algumas gotas de 'A Idade da Terra' (1980) ainda, a última assinatura de Glauber Rocha na sétima arte.

Se eu exagero, é porque a obra do diretor Jaco Van Dormael foi brilhante em resgatar, pelo menos em mim, a fantasia e a alegoria que de certa forma estavam perdidos nos becos da vida... Pelo título, pode-se pensar que se trata de filme religioso, e até sopra pitadas de verdade nisso. No blocked de Dormael e Thomas Gunzig, Deus (Benoit Poelvoorde) é o homem relaxado, alcoólatra, cheio de tédio e que maltrata a esposa (Yolante Moreau, ótima) submissa e a filha Ea (Pili Groyne).

A família mora em Bruxelas, Bélgica. Deus se diverte em sua sala particular, onde, por meio de seu computador, inventa catástrofes, problemas pras pessoas e leis hilariantes (e irritantes), como, por exemplo, 'a fila do lado sempre vai andar mais rápido', ou 'o pão vai cair todas as vezes com a geleia virada pro chão'. Na casa de Deus, ninguém lhe pode dirigir a palavra, e a TV, se ligada, tem de estar fixamente no canal de esportes.

Fatigada deste clima de maus tratos, Ea toma uma atitude extrema, influenciada por seu irmão JC (David Murgia). A partir disto, a menina precisa sair à cata de mais seis apóstolos, além daqueles 12 conhecidos, para redigir este tal Novíssimo Testamento. Então, encontram-se os personagens deliciosos, denominados com apelidos. Uma delas é interpretada pela musa eterna francesa Catherine Deneuve, na pele de Martine, a esposa insatisfeita no casamento e que encontrará prazer nos braços de um... Gorila!

O longa-metragem, por si só, é extraordinário. A fotografia, seguida pela trilha musical dada por Ea (cada personagem tem a sua música da vida) só acariciam o trabalho de Dormael. Seguramente, 'O Novíssimo Testamento' é uma dos melhores, se não a melhor produção de 2015 (estreou no Brasil em janeiro deste ano, quase passou em branco). Lidar com Deus nesses tempos de terrorismo é um baile contra o ódio e a vilania.

Publicidade
Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

27 JAN
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Coisas de Cinema

Rodrigo Romero é jornalista desde 2001. Passou por Diário de Jacareí, Diário de Mogi e assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Jacareí. Em 2008 foi para a TV Câmara Jacareí, onde até hoje atua como apresentador e repórter. Escreve há quase dez anos, semanalmente, a coluna 'Coisas de Cinema' no Diário de Jacareí.


E-mail do autor: rodrigoromeropl@ig.com.br
Arquivo
11/10/2019
A Prefeitura de Jacareí anunciou a implantação de corredores de ônibus na cidade. Qual a sua opinião sobre o tema?
06/04/2019
Após 100 dias de trabalho, qual a sua avaliação sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL)?
  • 38.1%
  • 19.5%
  • 14.6%
  • 13.3%
  • 12.2%
  • 2.2%
Publicidade
Publicidade
Logos e Certificações: