Publicidade
Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017 | você está em »principal»Blogs»Filhos Brilhantes
Publicado em 07/07/2017 às 17h18
Um velho general dedicado a Jacareí


BENEDITO VELOSO

A época é propícia para lembrar dos soldados paulistas que participaram da Revolução Constitucionalista de 1932, já que a data é comemorada no domingo (9). Lá se vão 85 anos, e com eles a memória dos que lutaram pela causa constitucionalista. Sem dinheiro, sem treinamento, sem apoio da maioria, sem armamento suficiente e sem vitória bélica, conseguiram o presente ideologicamente belo: o Brasil teve a constituição pela qual são Paulo sacrificou vidas e juventudes.

Esta lembrança não é pelos fins a que o movimento de 1932 se propôs, e sim pelo restabelecimento da verdade de quais foram esses fins, antes que a memória se perca de vez. Existe ainda a controvérsia quanto à verdadeira causa.

Há no país um chamamento para recuperação de fatos históricos, perfis urbanos e verdadeiras histórias das cidades, para que façamos jus aos que nos antecederam e para que eles sejam brindados com o direito de ter a própria existência fielmente registrada para sempre.

O Vale do Paraíba foi palco do mais sangrento dos confrontos da revolução de 1932. Jacareí teve pelo menos três filhos brilhantes sacrificados, o sargento Acrísio Santana, Gabriel Soares e Pedro de Souza Ramos, nomes que muitos só conhecemos pelas placas das ruas.

Viveu na cidade, colaborou profundamente com ela e a amava intensamente o então general Euryale de Jesus Zerbini, que participou do conflito como tenente integrante de um destacamento considerado como o “vanguarda de 32”. Zerbini comandou esse grupo e com ele sofreu todas as dificuldades, inclusive com a demora da adesão de comandos aliados deste Vale do Paraíba.

Passou frio, fome, perigos e solidão com os soldados em vários pontos do “front”, inclusive no mais decisivo deles, o túnel de Passa Quatro, que liga São Paulo a Minas Gerais por via férrea. Mais tarde, logo depois do golpe que instituiu no Brasil o governo militar, Zerbini sofreu outro revés com sua patente de general cassada pelos militares. Como general, fora comandante de brigadas em Caçapava, Quitaúna e Lorena. Morreu em 1982 aos 74 anos.

Na vida civil, foi diretor da Indústria de Papel Simão, em Jacareí, hoje Fíbria.

Publicidade
Compartilhe

Comentários (0)

ATENÇÃO!

Os comentários publicados neste espaço são de responsabilidade de seus autores e não expressam
necessariamente a opinião do Diário de Jacareí


Por favor, faça o login antes de comentar

21 SET
Publicidade
Notícias

Artigos
Perfil do Blog
Filhos Brilhantes

Assuntos como cerimonial, teatro, literatura, música, pintura terão sempre pessoas da terra como protagonistas, a grande maioria de Jacareí

 


E-mail do autor: bvelosomc@gmail.com
Arquivo
08/04/2017
A Prefeitura voltou a permitir o estacionamento rotativo pago, das 9h às 16h, na rua Barão de Jacareí. Vc concorda com a medida?
  • 46.1%
  • 40.7%
  • 7%
  • 6.2%
06/02/2017
Qual a sua opinião sobre a qualidade do serviços prestados pelo SAAE em Jacareí?
  • 34.1%
  • 31.9%
  • 24.1%
  • 9.9%
Logos e Certificações: